UM POST BEM PESSOAL, FAZER O QUE…

Sabe quando dá vontade de escrever e pronto? Então, é isso. Não é um publipost, não é um post sobre nenhum lugar,  tampouco nenhuma dica. É simplesmente a vontade de escrever sobre nem sei o que. Porque o blog é, antes de mais nada, um meio de expressão MUITO pessoal. E isso não se pode esquecer, jamais.

Nem todos gostam de escrever, preferem falar ou ficar quietos. Eu me expresso bem escrevendo, desde que me entendo por gente. Falando também. Mas escrevendo, solto o interior (talvez porque ninguém me interrompa!!). Dizem que os olhos são a janela da alma. Penso que escrever também. O blog me proporciona soltar meu lado escritor e jornalista, o que é ótimo.  Saber que o que está aqui atinge centenas de pessoas por dia é um prazer imenso. Por isso tanto cuidado, tanto esmero, tanta honestidade. Não é só bla bla bla, não. É verdade. E também por isso me dou certos direitos, como este, agora.

Tudo começou quando hoje pela manhã fui colocar meu bom dia habitual na Fan Page. Me veio à cabeça o poema do Fernando Pessoa e a famosa frase: viajar é preciso, viver não é preciso. Entendi como num click o que dizia, coisa que antes não tinha me dado conta. Viajar é necessário porque a vida não é precisa. É isso. A vida não é precisa. Ela é o que é. Prega peças, engana, esconde, mascara. Não por maldade, mas pela necessidade de te ensinar a viver. Ela é surpreendente. Nem você entende como em determinados momentos certas coisas acontecem, boas ou ruins. Elas simplesmente acontecem.
E não adianta ir a psicólogos e terapeutas para tentar entender, salvaguardado meu respeito por ambos, eu mesma fazendo terapia. A resposta está no tempo e na paciência. Na calma adquirida com a passagem dos anos. Na sabedoria de saber mais ou menos quando andar e quando parar. 
Quando estamos mais perto dos 50 que dos 40 algo muda. A pressa por viver logo é grande, porque não se sabe o que será. Portanto, nos tornamos mais tolerantes, conosco e com os outros. Por um outro lado, menos pacientes com babaquices, com pequenezes, com picuinhas. Queremos VIVER.
E a vida é sempre surpreendente. E isso é a maravilha do segredo não desvendado, aquele que os que creem pensam que irão descobrir quando passarem o portal. E que nos céticos acreditam que aqui mesmo compreenderão. Na verdade, ninguém tem a resposta. 
Frase simples do poeta Gonzaguinha com a qual termino este post meio sem sentido mas ao mesmo tempo cheio dele: “É a vida, é bonita e é bonita!”

Related posts

Leave a Comment