ARGENTINA NA FINAL DA COPA 2014

FINAL DA COPA 2014

Este é um momento histórico e por isso quis escrever este post, numa tentativa de explicar meu sentimento, sob o ponto de vista de uma brasileira que mora na Argentina e uma argentina que morou a vida toda no Brasil. Porque é isso que sou, uma mistura de ambos países, com o coração lá e cá. Me sinto mais brasileira? Sim, porque morei a vida toda aí e não aqui. Porém, há sete anos moro em Baires e posso dizer que minha argentinidade tem crescido muito desde então. Até escrevi sobre o sentimento de ver a copa do mundo morando fora do país AQUI.

FINAL DA COPA 2014

A Alemanha foi para a final da copa de 2014 ganhando do Brasil nas quartas de final. O Brasil perdeu de uma forma historicamente desonrosa, de sete a um, sendo que cinco desses gols entraram em quinze minutos, um atrás do outro, igual “punhalada de canhoto”, como se diz no Rio Grande. Sim, meus queridos, doeu. E muito. Difícil descrever o que eu sentia enquanto olhava pra TV e via aquela infinidade de gols entrando, sem parar. Me dava a impressão que era replay, juro… E a apatia dos jogadores brasileiros era indescritivelmente absurda.

Junto com essa derrota foi-se a minha – e a de todos os brasileiros que moramos em Baires – possibilidade de ir para o Obelisco vestidos de verde e amarelo, numa emoção sem fim, já antevendo a final e ganhar a copa no próprio país. Era uma tapaço na cara do mundo, ainda mais neste momento. Mas não nos foi possível.

Em nenhum momento pensei que o Brasil poderia não perder. Vamos e venhamos, jogar contra a Alemanha é phueda. Time bom, super técnico, sabida e historicamente equilibrado. Tampouco teria sido um problema perder, porque alguém tem que perder. Mas entre perder normalmente e perder como perdemos, há uma distância de milhas de kilômetros, distância esta que nenhum brasileiro, em nenhuma parte do mundo, conseguiu ainda percorrer.

E deu-se o que ninguém pensava. A Argentina foi para a final da copa 2014 SEM O BRASIL. Porque tanto aqui como aí, a vontade de todos era ver ESSA final. Brasil x Argentina. Uma briga futbolística histórica, que fecharia as feridas eternas com o resultado, fosse qual fosse. A demonstração para todo o globo terrestre de que o futeba de ambos países ainda era o melhor do mundo, um sendo o campeão e o outro, o vice. Um cala a boca dos latinos para o mundo, assim, direto na veia. Mas não deu… Não foi dessa vez… Não deu… E doeu…

Mas sabe, pensando bem, dois países latinos estão entre os quatro melhores do mundo. Não importa qual seja o resultado. Eita!! Continuamos mostrando ao mundo a que viemos. E continuamos sendo o melhor futebol do mundo, porque a Argentina já é vice e o Brasil já é o quarto melhor. Isso significa muito!

argentina

Meu desabafo é outro… É minha falta de entendimento de ver meus compatriotas brasileiros torcendo pela Alemanha! Não consigo engolir. Nada contra a Alemana, nadica, muito pelo contrário. Mas amanhã, NÃO! Peraí, galera!! Os caras nos fizeram de palhaços em campo, meteram SETE gols no nosso time, e vamos torcer para eles por conta de uma rivalidade boba com a Argentina?? Alguém me explica essa ilógica Síndrome de Estocolmo que acometeu o metade dos brasileiros, please, porque eu não entendo…

Vejo aqui meus hermanos argentinos, praticamente sem exceção, tristes porque queriam de verdade o Brasil na final e doídos pela derrota dos hermanos brazucas, como eles mesmos dizem. E é de verdade, realmente sentem assim. Abaixo transcrevo uma parte de um texto que está viralizado no Facebook, do Ezequiel Fernandez Aguirre, um brazuca-argento assim como eu. Ele responde aos argentinos “que se siente”, em relação à pergunta feita na musiquinha tão famosa que está rolando por, o novo hit, como dizem, “Brasil, decíme qué se siente.”

“Sí, somos hermanos. Así lo siento y así nos referimos en Brasil a los argentinos. En un español forzado, mas con un corazón firme y seguro. Si repudiamos cuando los escuchamos cantar que son nuestros padres, es porque no lo sentimos así. Por qué será que todos los argentinos que visitan Brasil vuelven enamorados de estas tierras y este pueblo? Por qué será que todos los brasileros que visitan Argentina vuelven enamorados de esas tierras y ese pueblo? Creo que compartimos mucho más que el dolor de la colonización y las Cataratas del Iguazú. (…) No tenemos 5 estrellas en nuestra camiseta amarilla, y ustedes no están a un partido de sumar su tercera. Todos tenemos infinitas estrellas y están pintadas en el cielo. En ese mismo cielo que me baña en Rio de Janeiro y en Santiago del Estero, en el mismo que compartimos muchos más que solo argentinos y brasileros. Y el sol en la celeste y blanca es el mismo que me quema allá en el campo o acá en la playa. Somos hijos del cielo y la Tierra, del mismo Dios que nos ama y protege a todos. (…) Quieren que les diga qué se siente? No hay como acotarlo a palabras, pero les aseguro que es más que un placer, porque los amo. Y que lo sepan todos los que me preguntan! Quiero que estén como en su casa – solo pido que no se peleen ni rompan nada… Tenerlos acá es motivo de festejo y fiesta. Que el papa transforme el agua en vino si quiere, que por ustedes, queridos, el domingo yo voy a transformar la caipirinha en fernet!” 

braarg

O Eze não poderia ter dito melhor. É isso. Vamos transformar a caipirinha em Fernet e mandar ver, porque se a Argentina chegou na final, foi por merecimento. Então, merece nossa torcida, com toda força, com toda a latinidade! E tenho dito.

Related posts

Leave a Comment