VINHOS ARGENTINOS PARTE 2

VINHOS ARGENTINOS

Hoje a Amaranta de Oliveira César nos explica como são produzidos os diferentes tipos de vinhos.

Como são feitos os vinhos tinto, branco e rose?

VINHOS ARGENTINOS

Partindo da premissa que as uvas não são todas iguais já conseguimos entender que os vinhos também não o serão. Hoje passaremos ao processo de elaboração dos vinhos branco, tinto e rose.

O vinho ainda é um produto orgânico e artesanal que conta com vários procedimentos e passos, produzido durante anos no vinhedo, no qual a natureza dispões de sua sabedoria a favor dos homens. Portanto, não é um trabalho para amadores.

Esta explicação é geral e à ela há que se adicionar muitos detalhes, difíceis de descrever graficamente, como a paixão, o cuidado, os estudos dos enólogos, desde a uva até o vinho. Os grandes vinhedos são os lugares onde o vinho é elaborado e a uva é plantada e colhida. A colheita é o primeiro passo para a elaboração do vinho. A colheita não é feita quando o produtor quer, mas sim em épocas especiais. Por exemplo, na Argentina a vindima acontece de fevereiro a abril, sempre dependendo da variedade da uva e das condições meteorológicas. As uvas podem ser vindimadas com máquinas especializadas ou à mão. Posteriormente são prensadas e o suco que se desprende é recolhido.

Os sucos do vinho branco são transferidos para um entorno frio e nesse processo são eliminadas as peles que estão no interior, antes que comece o processo de fermentação.

Os sucos de vinho tinto são diretamente fermentados. Neste caso, são colocados em grandes cubas e combinados com a levedura da própria pele. As leveduras são as responsáveis por transformar os açúcares em álcool etílico. A fermentação pode demorar de dias até uma semana e é feita a uma temperatura mais alta do que para o vinho branco. Depois de finalizado o processo de fermentação, as leveduras são retiradas por processo de filtração e, uma vez que o vinho está completamente filtrado e todas as partículas estranhas eliminadas, é enviado aos barris ou outros compartimentos, conforme decisão do enólogo e do resultado que este deseja obter.

Os vinhos roses nascem das uvas “tintas”. A diferença é que, durante o processo de fermentação, o suco permanece pouco tempo em contato com as peles coloridas. Por isso o suco não está tingido completamente e sim delicadamente, com notas típicas de aroma e sabor. Atualmente os vinhos roses estão sendo reposicionados a partir dos Syrah, Merlot, Malbec e outros.

No próximo post sobre vinhos, aula número tres e dicas. Fique de olho!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *